Efeito da atividade aeróbica e do sedentarismo sobre a estrutura cerebral

Efeito da atividade aeróbica e do sedentarismo sobre a estrutura cerebral
Uma série de estudos sugere que o exercício físico pode modificar a estrutura do cérebro da mesma forma, assim como o sedentarismo também pode remodelá-lo. Estudos recentes alguns experimentais apontam a possibilidade de mudanças no cérebro de ratos sedentários quando comparados aos ativos. 

O aumento da atividade da sistema nervoso chamado simpático desempenha um papel no desenvolvimento de doenças cardiovasculares. A inatividade física da mesma forma que a atividade condicionam modificações na estrutura neuronal em regiões do cérebro associadas com a regulação cardiovascular. Os estudos sugerem que alguns setores cerebrais são mais excitáveis em sedentário do que nos fisicamente ativos, o que pode resultar em maior risco para a saúde.

Os pesquisadores estão agora debruçados em estudos que procuram avaliar o impacto do exercício sobre a estrutura do cérebro e sobre a cognição, que é o processo da aquisição do conhecimento através da percepção, da atenção, raciocínio, juízo crítico e linguagem. É necessário conhecer a influência do exercício somada às diferenças individuais de estilo de vida e genética, pois são todos aspectos importantes.

Pesquisadores americanos da Mayo Clinic publicaram uma meta-análises, de estudos prospectivos, documentado que o exercício reduz significativamente o risco de demência na meia-idade, do mesma forma que melhora as funções cognitivas após 6 a 12 meses de exercício, quando eram comparados sedentários com indivíduos ativos fisicamente. 

Em idosos, após um ano de exercícios aeróbios regulares observou-se maiores volumes do hipocampo, que é uma estrutura localizada nos lobos temporais do cérebro humano, considerada a principal sede da memória, consequente melhora da memória espacial e também atenuação da perda de volume da substância cinza que ocorre com a idade. 

Redes cognitivas cerebrais estudadas com ressonância magnética evidenciaram melhora na conectividade após 6 a 12 meses de exercício. Estudos em animais indicam que o exercício facilita a neuroplasticidade através de uma variedade de bio-mechanismos, com a melhoria dos resultados na aprendizagem. O exercício induzindo a liberação de fatores neurotróficos no cérebro tem sido confirmado em vários estudos com animais, com evidência indireta em seres humanos. Além de um efeito neuroprotetor do cérebro, o exercício físico também pode atenuar o declínio cognitivo pela diminuição do risco vascular cerebral, pois melhora a microcirculação nos vasos cerebrais.

O exercício não deve ser ignorado como uma estratégia terapêutica importante.

Estudos futuros poderão demonstrar o potencial de exercício como uma ferramenta para corrigir uma variedade de doenças cerebrais debilitantes, bem como para maximizar o potencial cognitivo em desenvolvimento ou para diminuir a carga de declínio cognitivo associado com o envelhecimento.

Fonte
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3311131/
Mayo Clin Proc. 2011 Sep;86(9):876-84. doi: 10.4065/mcp.2011.0252.

Gostou? Então compartilhe:

Exames Relacionados

Veja os exames relacionados a esta matéria

Ergometria

Ergometria

São algumas das diferentes formas de chamar o exame de esforço. Na Cardiométodo pode ser realizado tanto na esteira rolante como na bicicleta ergométrica

Veja mais
Teste Cardiopulmonar

Teste Cardiopulmonar

A Cardiométodo disponibiliza este exame tanto em esteira como na bicicleta. É a forma mais completa para avaliação e prescrição do exercício

Veja mais

POSTAGENS RELACIONADAS

Veja mais novidades sobre este assunto

Aptidão cardiorrespiratória e mortalidade. Novas evidências.

Aptidão cardiorrespiratória e mortalidade. Novas evidências.

Um estudo recente com base populacional, realizado na Finlândia pelo grupo do Dr. Jari Laukkanen e colaboradores, publicado na Mayo Clin Proceedings, r...

Leia mais
Mais uma razão para fazer atividade física: é um importante fator para reduzir o `lixo` acumulado nas células do corpo

Mais uma razão para fazer atividade física: é um importante fator para reduzir o `lixo` acumulado nas células do corpo

Pesquisa publicada na revista Nature, realizada por cientistas do Centro Médico Southwestern da Universidade do Texas, em Dallas, sugere que a capacida...

Leia mais
Seu peso ideal não é o que você pensa

Seu peso ideal não é o que você pensa

Você está que com uma certa neurose, focado em fazer dieta ou quer perder peso por razões de saúde? Existe um alvo ou peso ideal que você deve alca...

Leia mais