Atividade física em horário de calor intenso pode levar ao estresse físico

Atividade física em horário de calor intenso pode levar ao estresse físico
Verão, forte calor, uma enorme disposição para atividade física - cuidado! É importante lembrar de tomar precauções para praticar exercícios físicos ao ar livre. Embora  a maioria  das pessoas estejam informadas que não é adequado, muitos  continuam praticando exercícios físicos ao ar livre, no horário do almoço, com sol e calor  intensos. 

Vale lembrar então, que durante o exercício, apesar da eficiência dos mecanismos termorreguladores do organismo, as altas temperaturas ambientais e trabalho muscular extenuante, podem levar a pessoa ao estresse por calor. 

Em ambiente quente, o calor decorrente da energia liberada pelos músculos em atividade é transportado pelo sangue para a pele que é a superfície onde ele é liberado para o ambiente. Quanto maior o fluxo sanguíneo para a  pele, maior a  transpiração corporal. Nestas condições, temperatura ambiente elevada e exercício é prolongado, se não há suficiente re-hidratação do corpo, o volume total de sangue circulante pode ser comprometido, além de haver direcionamento de sangue para os vasos cutâneos, há uma maior redução da quantidade de sangue que retorna ao coração, com consequente diminuição no enchimento cardíaco. Temperatura elevada acarreta maior trabalho do coração com elevação significativa dos batimentos cardíacos.

O efeito da temperatura ambiente elevada no desempenho do exercício é mais evidente no exercício submáximo prolongado. No entanto, este efeito pode ser melhorado através de programas de treinamento físico e de aclimatação de calor, mas este preparo leva tempo. 

As doenças térmicas brandas mais comuns, ou seja, que não comprometem o sistema termorregulador são a síncope e o edema por calor. Já as doenças relacionadas com quadro de desidratação e hipertermia configuram-se como emergência médica, devendo ser prontamente identificadas e tratadas para evitar maiores complicações.  Dentre os sintomas mais comuns estão: mal-estar, fraqueza, cefaléia, hiper-irritabilidade, ansiedade, taquicardia, tontura, náusea, vômitos, diarreia e hipotensão.

Determinadas drogas que são usadas no tratamento de doenças cardiovasculares como os diuréticos, que facilitam a eliminação de líquidos, e os beta-bloqueadores,  que impedem o aumento da frequência cardíaca, tornam as pessoas mais suscetíveis a ter problemas quando praticam exercícios físicos com temperaturas elevadas. Os sintomas costumam ser mais precoces que podendo comprometer a saúde e exigir intervenção do médico. Pessoas bem hidratadas são menos suscetíveis a esses problemas.

O ideal é não praticar esportes em ambientes muito expostos ao sol, e, se não tiver outra opção, ficar o mínimo de tempo possível, e sempre ingerir bastante liquido, que diminui consideravelmente o risco de desidratação.

Fonte:
Revista Saúde e Pesquisa, v. 4, n. 2, p. 278-288, maio/ago. 2011 - ISSN 1983-1870.
European Journal of Applied Physiology and Occupational Physiology- 11. XI. 1974, Volume 33, Issue 3, pp 237-24

Gostou? Então compartilhe:

POSTAGENS RELACIONADAS

Veja mais novidades sobre este assunto

O pulmão e o exercício

O pulmão e o exercício

O pulmão é órgão com funções espetaculares, nem sempre colocado na proporção de sua relevância, quando se fala no exercício físico. Talvez, p...

Leia mais
Entendendo o Teste Cardiopulmonar

Entendendo o Teste Cardiopulmonar

A combinação do teste ergométrico (TCP), saturação de oxigênio e medidas das trocas ventilatórias torna o teste cardiopulmonar um método superio...

Leia mais
Hipertensão: a gordura abdominal pode ser mais arriscado do que a gordura total do corpo

Hipertensão: a gordura abdominal pode ser mais arriscado do que a gordura total do corpo

Obesos apresentam desafios distintos, um grau menor de excesso de peso pode não ter impacto no aumento da mortalidade, depende, porém, de como a gordu...

Leia mais