Relação entre e medidas ambulatoriais da pressão arterial (MAPA) e as medidas clínicas na mortalidade

Relação entre e medidas ambulatoriais da pressão arterial (MAPA) e as medidas clínicas na mortalidade

A evidência da influência da pressão arterial ambulatorial no prognóstico deriva principalmente de estudos populacionais e de algumas investigações clínicas relativamente pequenas. Este estudo examinou as associações de pressão arterial medidas na clínica (pressão arterial clínica) e pressão arterial ambulatorial 24 horas com mortalidade por todas as causas e cardiovascular em uma grande coorte de pacientes na atenção primária.

MÉTODOS

Analisamos dados de uma coorte nacional multicêntrica e baseada em registro que incluiu 63.910 adultos recrutados de 2004 a 2014 na Espanha. Os dados clínicos e de pressão arterial ambulatorial de 24 horas foram examinados nas seguintes categorias: hipertensão sustentada (clínica elevada e pressão arterial ambulatorial elevada de 24 horas), hipertensão “jaleco branco” (clínica elevada e pressão arterial ambulatorial normal de 24 horas) , hipertensão mascarada (clínica normal e pressão arterial ambulatorial elevada 24 horas) e clínica normal e pressão arterial ambulatorial normal 24 horas. As análises foram realizadas com modelos de regressão de Cox, ajustados para pressão arterial clínica e ambulatorial 24 horas e para fatores de confusão.

RESULTADOS

Durante um acompanhamento médio de 4,7 anos, 3808 pacientes morreram por qualquer causa e 1295 desses pacientes morreram por causas cardiovasculares. Em um modelo que incluiu medições de 24 horas e clínicas, a pressão sistólica de 24 horas foi mais fortemente associada à mortalidade por todas as causas (taxa de risco, aumento de 1,58 )do que a pressão sistólica clínica (taxa de risco de 1,02). Essas relações foram consistentes entre os subgrupos de idade, sexo e status em relação a obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e tratamento anti-hipertensivo. A hipertensão mascarada foi mais fortemente associada à mortalidade por todas as causas (taxa de risco: 2,83) do que a hipertensão sustentada (taxa de risco: 1,80) ou hipertensão do avental branco (taxa de risco , 1,79; IC 95%, 1,38 a 2,32). Os resultados da mortalidade cardiovascular foram semelhantes aos da mortalidade por todas as causas.

CONCLUSÕES

As medidas ambulatoriais da pressão arterial foram um forte indicador de mortalidade por todas as causas e cardiovascular do que as medidas clínicas da pressão arterial. A hipertensão do avental branco não era benigna e a hipertensão mascarada foi associada a um risco maior de morte do que a hipertensão sustentada. (Financiado pela Sociedade Espanhola de Hipertensão e outros.)

Os dados ambulatoriais da pressão arterial fornecem uma avaliação mais abrangente da pressão arterial ao longo de um dia e foram  consideradas capazes de prever melhor os resultados de saúde do que a pressão arterial medida na clínica (pressão arterial clínica) ou em casa.1-3 Evidências para a influência da pressão arterial ambulatorial no prognóstico deriva principalmente de estudos populacionais 4-7 e de algumas investigações clínicas relativamente pequenas. No entanto, nesses estudos, o número de desfechos clínicos foi limitado, o que reduziu a capacidade de avaliar os resultados preditivos do  valor dos dados clínicos da pressão arterial em comparação com os dados ambulatoriais. Além disso, se a pressão arterial média ambulatorial durante a noite, o dia ou as 24 horas completas é o mais forte predito de mortalidade permanece incerta. Além disso, as implicações dos fenótipos da hipertensão, como “ hipertensão do avental branco e hipertensão mascarada em relação à mortalidade permanecem mal definidas, principalmente devido ao pequeno número de eventos relatados em estudos anteriores.

Relatamos o valor prognóstico das pressões sanguíneas clínicas e ambulatoriais, bem como dos fenótipos de hipertensão, na mortalidade total e cardiovascular. Utilizamos dados do Registro Espanhol de Pressão Sanguínea Ambulatorial, que inclui uma grande coorte de pacientes na prática de cuidados primários.

Referência

Relationship between Clinic and Ambulatory Blood-Pressure Measurements and Mortality

José R. Banegas, M.D.Luis M. Ruilope, M.D., Alejandro de la Sierra, M.D., Bryan Williams, M.D. et ali. https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1712231

Fonte: https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1712231

Exames Relacionados

Veja os exames relacionados a esta matéria

MAPA

MAPA

Exame destinado a registrar diversas medidas predeterminadas da pressão arterial durante 24 horas.

Veja mais

POSTAGENS RELACIONADAS

Veja mais novidades sobre este assunto

Complicações cardiovasculares por stress. Desarme essa bomba

Complicações cardiovasculares por stress. Desarme essa bomba

A Copa do Mundo é evento enorme impacto num país como o Brasil onde o futebol é o mais popular de todos os esportes. Durante os jogos se alternam sen...

Leia mais
Poderá o colesterol ruim estar ligado a um menor desempenho cognitivo?

Poderá o colesterol ruim estar ligado a um menor desempenho cognitivo?

Pressupõe-se que a flutuação do colesterol poderia impactar negativamente o desempenho cognitivo no idosos. Contudo, embora chamado de "mau" o colest...

Leia mais
Yoga e doença cardiovascular

Yoga e doença cardiovascular

Uma revisão recente de yoga e doença cardiovascular, publicado no European Journal of Preventive Cardiology indica que a ioga pode ajudar a reduzir o ...

Leia mais